A CBBA

Uma das convenções estaduais da Convenção Batista Brasileira

É uma organização religiosa com fins não econômicos, que reúne Igrejas Batistas da Bahia a ela filiadas. Foi organizada em 1909, sob o nome de União das Igrejas Batistas da Bahia, e reorganizada em 1923 sob o nome de Convenção Batista Baiana. A CBBA é uma das convenções estaduais da Convenção Batista Brasileira.

A Convenção objetiva coordenar o trabalho cooperativo das igrejas batistas a ela filiadas, visando, sobretudo, desenvolver a obra missionária por meio da evangelização, da plantação e revitalização de igrejas; da responsabilidade social, através de projetos educacionais, da ação, serviço e assistência sociais; da educação teológico-ministerial e produção de literatura cristã.

MISSÃO

Servir às Igrejas Batistas Baianas em seu compromisso com Jesus Cristo.
 

VISÃO

Ser reconhecida pelas Igrejas Batistas pelo serviço de excelência no fomento de seu compromisso com Jesus Cristo, da unidade e da fiel e generosa cooperação denominacional.
 

VALORES

Fidelidade Doutrinária
Unidade
Transparência
Respeito ao próximo
Excelência no Serviço
Pontualidade
Compromisso com prazos e resultados

História

A história dos batistas na Bahia começa em 15 de outubro de 1882, quando foi fundada a primeira igreja batista em Salvador-BA. Foi a primeira igreja batista voltada para a evangelização dos brasileiros e a terceira organizada no país.

Estrutura

Conforme o livro Pacto e Comunhão, editado pela Convenção Batista Brasileira, os documentos batistas “funcionam como faróis que orientam os crentes batistas a manterem, à luz da Bíblia, a unidade como denominação, já que nosso sistema de governo eclesiástico é democrático e congregacional. Assim cada igreja é autônoma, tem governo democrático, pratica a disciplina e rege-se pela Palavra de Deus em todas as questões espirituais, doutrinárias e éticas, sob a orientação do Espírito Santo.”.

Plano Cooperativo

Surgiu em 1957, durante a Assembleia Anual da Convenção Batista Brasileira, em Belo Horizonte-MG. Foi criado para a manutenção do trabalho geral dos batistas brasileiros e como método eficiente e bíblico para desenvolver a obra de missões. Dois anos depois, em 1959, foi colocado em prática para que os batistas brasileiros testemunhassem de Cristo “até os confins da terra”.